A química da construção

Poucos a percebem, mas a Química é uma companheira constante em casas e apartamentos. E está presente em todos os cômodos das residências. Olhe para as paredes. Você não a vê, mas com nomes como dióxido de titânio, poli (acetato de vinila), mais conhecido por PVA, acetato de etila, acrilato de butila e lacas de nitrocelulose, entre outros, a Química está presente na formulação das tintas que revestem e dão aquele colorido repousante na sua casa.
Escondido nas paredes, o poli (cloreto de vinila), mais conhecido por PVC, conduz água e protege os fios elétricos, tendo como vantagem, para desespero de encanadores e eletricistas, ter alta resistência à umidade. Resinas termoplásticas, como o polietileno e o polipropileno, marcam presença em interruptores e tomadas.
Há muitos outros produtos químicos utilizados, direta ou indiretamente, na construção civil. Torneiras, registros e maçanetas ganharam aquele bonito brilho após passarem por vários tratamentos químicos. Cianetos de sódio e de cobre, com barilha ou soda cáustica, foram utilizados para proteger o metal contra a corrosão. Sulfato e cloreto de níquel, em conjunto com ácido bórico e aditivos, completaram o tratamento. O ácido crômico e o ácido sulfúrico deram brilho ao metal. E, se o tom é acobreado, ele foi obtido pela ação dos cianetos de cobre, de zinco e de sódio.
A Química pode até ter alguns produtos com nomes complicados, mas uma coisa é certa: ela não apenas está morando com você como aumenta o conforto e a segurança do seu lar.